música

 

 

 

Olha, vê como rio,
e o meu riso é rio
que corre

corre, para as águas
do teu mar:

águas casas asas ar,
o gesto sem mágoas
do teu amar.

Olha, vê como falo,
e tudo o que já não calo
é canção,

e o meu riso é refrão
que corre,

que corre e escorre
da minha à tua mão
e neste meu brando cantar.

Olha, minha mãe, o que te digo:
não serão as palavras nem ilha
nem porto de abrigo,

nem serão nem perdão nem castigo —
mas é nelas a música que quero filha,
e que serena agora assim escrevo contigo.

 

 

Copyright © Nina Light CC-BY-NC-ND

 

 

 

Anúncios
%d bloggers like this: